quarta-feira, 12 de agosto de 2009

LILITH E ADÃO/EVA












Enquanto Lilith é descrita como forma negativa, Eva, ao contrário, é apresentada em suas belezas e ornamentos. Adão não a recusa por vê-la como ossos dos seus ossos.



Mas Eva carregará a culpa pela perda do paraíso.

E, esta é a informação que nos é passada pelo catolicismo, isto é, que a mulher possui uma imperfeição inerente, devida a sua natural inferioridade e sua incapacidade de distinguir o bem do mal.




Tais afirmações foram codificadas no psiquismo feminino, fazendo com que todas as mulheres se tornassem estigmatizadas com esta identidade negativa.



Foi deste modo, que o feminino se viu reduzido ao submisso e ao incapaz.



A submissão foi então, imposta culturalmente a todas as mulheres, que distorceu intencionalmente os aspectos femininos, com o intuito de reprimir e estabelecer uma sociedade patriarcal.

Lilith, portanto, desobedece à supremacia de Adão, Eva, assumindo seu arquétipo Lilith, desobedeceria à proibição.




Lilith, nada mais é, do que o lado sombrio de Eva, daí o porque das qualidades terríveis que são atribuídas a ela.



Todo mal que lhe é atribuído está em sua desobediência, ao seu "não" a submissão.

Criada ao pôr do sol, Lilith é noturna, e por isso lhe foi atribuída a qualidade de vampiro.


Lilith, ou as projeções do mito eram descritas em suas características eróticas, sensuais, mas quase sempre misturadas com características horrendas, partes animalescas, sobretudo nas extremidades.

A tradição de Lilith é a tradição da rejeição à Adão.


O não de Adão, como já observamos, deveu-se não só ao caráter demoníaco de Lilith, mas também a exigência do desenvolvimento do ego de Adão.

A serpente-demônio, ou o próprio demoníaco que existe em Lilith, impele a mulher a "fazer algo" que a sociedade paternalista não permite.


Lilith é o arquétipo da mulher indomada, que luta apaixonadamente pelo poder pessoal. Suas características são destemor, força, entusiasmo e individualismo.



Ela é atividade e exuberância emocional. Para as religiões patriarcais, é a personificação da luxúria feminina .

3 comentários:

Regina d'Ávila disse...

Verdade..todas as religiões colocam, sempre, a mulher em um plano inferior...e ainda hoje, as "novas religiões", continuam a fazer...
E Lilith além de representar o "mal" ainda contribui para o pesadelo das mães, pois é atribuída à ela a morte do sono de bebês...e por isso, conta-se a lenda, que as mamães cantam uma canção de ninar (que no inglês se chama lullaby), que deriva do nome de Lilith, para afastar todo o "mal"..juntando-se a isso aquelas medalhas de santos junto ao berço para afastar a deusa Lilht de seu pequenino...
Muita imaginação , não é?
Vi dias atrás falando sobre isso no History Channel...
Coitada das mulheresss...sempre pisadas..
Mas daremos a volta por cima..kkkkkk
Aguarde!!! kkkkkk
Beijosssssssssss amiga linda...
Essa tal de Eva é muito "Amélia" para o meu gosto..kkkkkkk

Deusa disse...

Minha querida Amiga

Um belo e sonoro ...ViVA LILITH !!

hahahahaha

Beijooooooooo

joyce disse...

Interessante essa abordagem, precisamos superar esses paradigmas. bjs