domingo, 28 de fevereiro de 2010

MULHERES



A língua lambe as pétalas vermelhas
da rosa pluriaberta; a língua lavra
certo oculto botão, e vai tecendo
lépidas variações de leves ritmos.
E lambe, lambilonga, lambilenta,
a licorina gruta cabeluda,
e, quanto mais lambente, mais ativa,
atinge o céu do céu, entre gemidos,
entre gritos, balidos e rugidos
de leões na floresta, enfurecidos
( Carlos Drumond de Andrade )

3 comentários:

El Brujo disse...

Fantástica essa, é sua?
Ótima semana!

Deusa disse...

Olaaaa bruxo
Gostou ? é minha sim ..
bom que gostou
Um abraço , ótima semana pra vc tambem

Hod disse...

Olá Lili, belíssima essa obra. Aqui tenho a Layla.

Essa sua em especial reúne uma aura mágica quase posso tocá-la. Afinal gosto das mulheres e de mulheres.

Forte abraço amiga com muitas bençãos,

Alôha,

Hod.