quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

ANTES QUE O ANO ACABE



Esse texto é de Lidia Rosemberg Aratangy

Gostei do que li e porisso peguei emprestado , sem antes é claro declarar a verdadeira autora, que teve a felicidade de expressar exatamente tudo aquilo que penso.

Envio com todo carinho para meus amigos

Lilian



...A pessoa que sou não é bem a que eu gostaria de ter sido.

Não sou (nem nunca serei) perfeita, maravilhosa, fascinante.

Sou apenas uma mulher do meu tempo, bem intensionada mas bastante desajeitada, suficientemente sensível para perceber as necessidades e desejos do meu próximo, mas, na maioria das vezes, incompetente para atendê-los.

E já aprendi que não serei nunca muito diferente dessa que sou hoje.

Terei mais cabelos brancos, mais rugas, posso até enfeitar um pouco a minha imagem interna e externa, dar uns arremates, prestar mais atenção para tentar errar menos.


Mas a essência não vai mudar. Perfeita, não serei nunca, nem com cirurgias plásticas, nem com mais algumas décadas de análise.

Pensando bem, talvez o mundo não tenha perdido muito, ao ficar definitivamente privado dessa que eu acreditava que deveria ser.

Talvez para que o mundo fique melhor, mais aconchegante, mais quentinho, o que está em falta não são seres olímpicos e perfeitos; mas reles mortais, falíveis e humanos, um pouco mais conformados com as fraquezas e limitações, as próprias e as alheias.

Já há culpa demais, frustações demais.

Onipotência demais.

Desta vez, ao invés de sair correndo para não deixar pendente para janeiro, proponho que se tome uma atitude nova.

Poderíamos hastear, antes que o ano acabe, a bandeira da trégua, do descanso.

Vamos anunciar a hora da conquista maior: gostar do que a gente conseguiu, sem lamentar o que supostamente deveria ter conquistado.

A hora de valorizar o que a gente é, sem se remoer pelo que poderia ter sido e não foi.

Antes que o ano acabe, vou procurar meus filhos, um por um, para dizer-lhes que fiz o que pude por eles, neste ano que acaba e em todos os outros.

Certamente menos do que eu gostaria de ter feito, muito menos do que eles acreditam merecer, mas o máximo que se fez possível dentro dos meus humanos limites.

Vou olhar nos olhos do companheiro e reiterar o que ele provavelmente já descobriu: não sou a princesa do reino da fantasia, não há encantamento a ser quebrado para me tornar loura e linda, meiga e delicada.

Minha medida é esta que aqui está, para o bem ou para o mal.

Nem mais, nem menos.

Ps: ilustrado com uma escultura minha !

7 comentários:

Druida de Orion disse...

Deusa,

Somos o resultado de nossas escolhas. Beijos no seu coração e um feliz Natal..Viu

expressodalinha disse...

A escultura é espectacular e você é uma pessoa maravilhos. Não gente perfeita. Devem ser uns chatos. Beijos.

Deusa disse...

Ola Druída um feliz natal pra vc tambem

Deusa disse...

Obrigada meu querido jorge
vc é um amor de pessoa
te gosto de montão

Sophi (para os íntimos) disse...

Linda escultura,quanta sensibilidade...
Perfeitos versos,o bom da vida é isso buscar sempre o melhor sem perder a autenticidade,sem nunca deixar de ser...
E você é!!
Deusa,obrigada pelo carinho de sempre,obrigada por fazer parte do meu mundo neste finalzinho de ano e que possamos entrar juntas com o pé direito no próximo e angariarmos cada vez mais atitudes positivas e carinhosas como essas...

Reciprocidade contigo,sempre!!

beijo imenso e feliz ano novo,amo essa tua foto,adoro a natureza,bichos,pé no chão,sou um bicho do mato!

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Antes que o ano acabe...

BOM-ANO tb p'ra ti ...

Então brindemos à grande e à francesa...

TXIM-TXIM ► Esta é a minha oferta!!

KINHA disse...

Olá Deusa

Feliz Natal à vc também, querida amiga.

Bjoooooooo.........